.../...

fico suspenso na expectativa

de um pensamento que rasgue o tempo

e me traduza o sonho das árvores



terça-feira, 7 de setembro de 2010

PERSISTÊNCIA

Inventei-te nos aromas
de alfazemas e ciprestes
com contornos subtis
adornados na pureza
de desejos pueris

Admirei-te a vontade
indómita, determinada,
o teu querer irredutível,
a persistência iluminada

Por força da tua paixão
aqueceste vazios inóspitos
derreteste muralhas de gelo
e abriste caminhos amenos
sobre o granito racional

Sabiamente afastaste
obstáculos, agruras e dores
acreditando na luz flamejante
que te aguardava, serena
no destino arduamente almejado

Adormecem-se assim as memórias
de dias desencontrados
dos propósitos conquistados
em turbilhonante e alvoraçada demanda
da luz diáfana
de ansiados futuros sonhados


JCE 07/2010

2 comentários:

  1. Este é dos tais. Acho que estás nessa fase. Não dá para comentar nem profanar. Beijo

    ResponderEliminar